Arquivo da tag: empreendedorismo

Um ser humano generoso

É necessário pouco tempo de convivência para você conhecer a generosidade de uma pessoa. Precisei de apenas 40 minutos para presenciar uma boa ação de alguém que só faz o bem.

O fato ocorreu ontem, na palestra do Augusto Cury que acontecera na Expoville (em Joinville). Ele chegou uma hora e meia mais cedo justamente para sentar-se na primeira fila. Foi nesse momento que eu o encontrei. Nos cumprimentamos e fomos juntos para a primeira fileira de cadeiras. Conversamos sobre palestras, coaching e sobre a vida.

Ele havia reservado um lugar para uma colega que chegaria, mas que, depois de um tempo nos avisou que já se sentara com a família. Pois bem, havia uma cadeira vazia ao seu lado. Eis que, de repente, chega uma mãe com seu filho cadeirante. Ele não pensou duas vezes, mobilizou as pessoas até que cada um pulasse um lugar para possibilitar que mãe e filho sentassem lado a lado.

Mas não termina aí. O filho cadeirante sentou ao lado da mãe, mas uma senhora prontamente reclamou: “agora ficamos sem uma cadeira que eu estava guardando para uma pessoa”. Mais uma vez ele não hesitou e respondeu: “não tem problema senhora, eu sento lá atrás e deixo uma cadeira livre para você”. A essa altura o auditório já estava lotado. Mas, esse ser humano extraordinário, que chegou com uma hora e meia de antecedência para conseguir um lugar na primeira fila abriu mão disso em nome da boa ação e cedeu seu preciso lugar.

Estou falando de Roberto Pascoal. Isso só poderia vir de um empreendedor social que tem o sonho de transformar o mundo por meio da educação. Espero que esse simples relato demonstre a dimensão do coração desse ser humano peculiar. Você pode conhecer sua história completa assistindo ao vídeo abaixo.

Anúncios

O que aprendi com quarto melhor Head Hanter do Brasil

Empreendedorismo, empregabilidade e inovação jamais estiveram tão em alta como estão no momento no Brasil, graças ao período de crise. Conheça as principais lições que eu aprendi sobre o assunto, com o quarto melhor Head Hanter do Brasil.

A empatia de uma pessoa se proclama em suas atitudes. Pude perceber isso ontem, ao assistir a palestra do Head Hanter Bernt Entschev, promovida pela Universidade Católica de Joinville. Atualmente, Bernt é fundador da consultoria de Recursos Humanos De Bernt Entschev Human Capital, especializada nos serviços de Market Research, Executive Search, Assessment e Outplacement.  Já foi funcionário da Souza Cruz, onde exerceu diferentes cargos em diversas cidades do Brasil. Mas nem sempre foi assim.

Hoje executivo, Bernt vêm de origem humilde. Nascido na Alemanha, filho de pai húngaro e mãe alemã, ele chegou ao Brasil no final da década de 1940. A família fixou residência em Curitiba. Ele começou a trabalhar com 13 anos de idade, como office boy da hoje extinta Prosdócimo. Assim iniciou sua jornada que inclui venda de televisão, venda de seguro e até venda de carnê do Baú. Ao longo de 14 anos, o alemão passou por 11 empregos diferentes.

Quando ainda passava por necessidades financeiras, Bernt foi recrutado para fazer um estágio em vendas na cidade de São Paulo. Chegando lá, o jovem trabalhador se instalou em um hotel que oferecia um precioso café da manhã. Porém, ele não conseguia aceitar que tinha esse privilégio, enquanto sua família passava por necessidades. Bernt contou que: “cada pedaço de pão e de frutas passava arranhando na minha garganta”.

Foi esse grandioso homem de negócios que passou uma hora e meia, de sua lotada agenda, compartilhando conhecimentos que são verdadeiras lições de vida. Vou dividir com você, tudo o que eu aprendi com esse cara, que já foi eleito o 4º Melhor Headhunter do Brasil pelo Canal RH.

Bernt falou sobre empreendedorismo, empregabilidade e inovação. Começando por empreendedorismo, para ele, há duas lições fundamentais para os empreendedores.

  1. Só se faz ótimos negócios, com um ótimo planejamento

Um ótimo planejamento é ponto de partida para a realização de ótimos negócios. É necessário definir: “o que fazer?”, “como fazer?”, “por que fazer?”, assim por diante.

  1. O empreendedor deve saber lidar com o risco

O risco faz parte da rotina do empreendedor. Logicamente que os riscos devem estar pautados em informações e análises atuais e projeções futuras, para o empreendedor ingressar apenas em riscos calculados.

Seguindo essas duas lições, três fatores são necessários para empreender:

  • Plano de negócio: para definir a estruturar seu negócio.
  • Gestão: capacidade para gerir seu negócio.
  • Gestão do tempo: conhecer as prioridades e o tempo necessário para executá-las.

Quanto ao segundo tópico da palestra, para Bert, empregabilidade e inovação estão interligados. Então, ele coloca quatro lições para garantir sua carreira.

  1. “Mais importante do que estar empregado é ser empregável”

Isso quer dizer que você precisa possuir um valor para despertar o desejo das empresas.

  1. Mantenha-se sempre com o conhecimento atualizado

Conhecimento não se adquire apenas em treinamentos, cursos, graduações, especializações ou Pós-Graduações. Você também pode adquirir conhecimento lendo livros, assistindo a palestras e aprendendo com superiores. Outra dica é a prática deliberada. Quanto mais você pratica, analisando acertos e erros, mais você alcança a maestria.

  1. Domine, pelo menos, um segundo idioma

Oportunidades se abrem aos profissionais que dominam uma segunda língua. Além disso, esses trabalhadores ganham mais do que os que dominam somente o português.

  1. Seja multi

Tanto multifuncional, adaptável a diversas funções, quanto multitarefa, capaz de realizar diversas tarefas. As empresas necessitam cada vez mais de profissionais com essa forma de pensar e agir.

  1. Inove

A saída para a inovação não deve estar nos concorrentes, ela deve estar na sua forma de ver o mundo. Você deve interpretar as coisas de maneira diferente do entendimento dos outros.

Além disso, Bernt compartilhou ensinamentos para evitar uma demissão. Para ele é mandado embora, principalmente, quem trabalha o mínimo necessário e entrega pouco resultado. Ou seja, o típico profissional acomodado, que faz somente o chamado “feijão com arroz”. Isso em situações normais, não em períodos de crise.

Por fim, uma dica para manter-se no emprego é destacar-se pelo relacionamento com as pessoas. Quem lida bem com as pessoas é mais difícil de ser demitido. Ninguém gosta de mandar embora alguém que se dá bem com os funcionários da empresa.

*Texto originalmente publicado no Portal Administradores, disponível em:

http://www.administradores.com.br/artigos/carreira/o-que-aprendi-com-quarto-melhor-head-hanter-do-brasil/93812/